irracional

Por Que Seres Tão Racionais Desenvolvem Atitudes Irracionais?

Todos nós sabemos que os seres humanos são criaturas altamente racionais, certo? Ou não? Você já teve a sensação de que alguns dos medos que você tem estão simplesmente fora do seu controle? Sente que algumas coisas na sua vida não podem ser combatidas, porque são coisas da sua personalidade?

Se você acredita que seu medo te deixa fora de controle e que nada pode ser feito pra evitar reações automáticas quando você está com medo, deixe-me dizer uma coisa: a verdade é esta mesmo. O medo nos tira completamente de foco, e nos faz agirmos como bichos completamente irracionais. Nossos medos nos põem em um piloto automático.

Isto Significa Que Você Nunca Poderá Vencer Seus Maiores Medos?

Absolutamente, não. Não foi isto que eu quis dizer. Quando me refiro à irracionalidade motivada pelo medo, estou apenas falando da estrutura que se segue a um surto de medo: dado um estímulo, você reage de maneira completamente involuntária. Algumas vezes, nossos medos causam reações imprevisíveis. Outras, não.

Sabe aquele bom e velho medinho que você alimenta desde a sua infância? Sei lá, vamos falar de baratas. Você sente seu peito encurtar a respiração, seus olhos se esbugalham na frente daquele bicho nojento, marrom-avermelhado e cascudo no azuleijo do banheiro da sua casa. Você pega o chinelo e vai na direção dela como se aquele inseto fosse a última besta que veio destruir toda a humanidade. Baratas são assustadoras. E nossas reações medrosas em frente às baratas são assim… Muito peculiares e previsíveis.

O Que É Mais Importante Ao Lidar Com o Medo?

Todas essas reações irracionais são sempre causadas por uma estrutura racional bem profunda e arraigada nos nossos pensamentos. É como um cofre, com princípios valiosos, dos quais nunca queremos abrir mão. Traumas, experiências passadas, heranças familiares, cultura, religião… Sei lá, existem mil motivos para montarmos nas nossas mentes uma estrutura que nos causa reações irracionais.

Se pararmos para analisar, certos medos aparentemente irracionais são tão previsíveis em comportamento que podemos dizer que são mesmo automáticos. Se são tão automáticos e tão previsíveis (como as reações sempre muito parecidas, quando vemos uma barata), temos aí um padrão bem racionalizado. Parece até que foi planejado.

O Que Faz Uma Pessoa Ter Medo e Outra Não Ter?

Baratas são pratos típicos em várias cidades da China, e quem já provou disse que o sabor se parece com o de camarão. Biologicamente, o camarão parece muito com a barata (apesar de um ser crustáceo enquanto o outro ser um inseto). Ele tem o apelido de urubu do mar, porque só come bichos mortos, putrefatos. Resumindo: o camarão vive de restos, assim como a barata.

O que nos faz ter tanto medo de uma barata e nos deliciar com uma porção de camarões fritos em uma tijela? Existe algum grande motivo mágico para que, na China, seja possível comer baratas? Somos seres de diferentes espécies? Claro que não. Somos todos homo sapiens. Será que os chineses são naturalmente mais corajosos, ou sentem menos nojo das coisas que os ocidentais? Isso também pode parecer uma explicação frágil demais.

Muitas pessoas que lerão este post dirão: “eu não tenho esse medo todo de baratas do qual você está falando”. Muito justo. Pessoas são diferentes e, por isso, desenvolvem pensamentos diferentes. A diferença é só essa: baratas, como qualquer coisa na vida, têm um significado diferente na cabeça de quaisquer pessoas.

Entendendo o Seu Lado Irracional

O dispositivo do medo foi criado pela natureza para te proteger de perigos. Essa estrutura de auto-defesa é extremamente útil quando utilizada da maneira certa. Pense em um policial, por exemplo: o condicionamento do seu medo é todo dirigido para o uso eficiente da sua arma, a percepção correta dos inimigos, pontaria etc.

Quando um policial está em serviço, ele não precisa ficar lembrando das técnicas. Ele simplesmente executa, aparentemente sem pensar. Empunhar armas, apontar, atirar, recarregar, movimentação tática, vencer obstáculos, ganhar terreno, reconhecer posições estratégicas, perseguições de automóveis…

Enfim, na cabeça do policial existe uma rede de pensamentos que já está treinada para lidar com o perigo que ele lida no seu dia a dia. O medo acelera a nossa fisiologia, portanto ele é muito útil, se for bem usado.

Usando Sua Irracionalidade a Seu Favor

Sabendo que a estrutura do medo é, na verdade, um recurso da sua fisiologia para te manter vivo, você precisa apenas fazer uma mudança de foco: ao invés de deixá-lo operar de maneira que não te dê opções de ação, você precisa usá-lo de maneira que você obtenha poder e possibilidades dele.

Seu único papel é desenvolver pensamentos e cognições sobre os perigos que são reais na sua vida. Medos que você sabe que não procedem precisam ser sumariamente eliminados. Se você precisa fazer alguma coisa que te dá muito medo, por exemplo, falar em público, você precisa apenas mexer na estrutura de significados do que é falar em público.

Como Reduzir o Seu Medo?

Como em outras publicações minhas, aqui eu descrevo um exercício que me ajudou algumas vezes. Existem vários outros especialmente desenhados por especialistas para lidar com medo. Este é eficaz em vários casos. A verdadeira chave está em continuamente conseguir novos recursos para lidar com eles, e este aqui é muito valioso.

É muito importante absorver isto: muitos de nossos maiores medos vêm de uma racionalização, isto é, de uma explicação que amamos, e pela qual nós confirmamos a nós mesmos que precisamos sentir medo. Quando você entende isso (de verdade), fica fácil mudar muitos dos nossos comportamentos antes tidos como imutáveis. Você precisa abrir o seu cofre emocional, e se livrar de certos padrões com os quais está muito acostumado, mas que não te servem mais.

Quando você reconhecer que seu cérebro está querendo disparar uma reação irracional e medrosa em qualquer situação onde você sabe que pode se sair melhor, não focalize seu pensamento nas razões pelas quais o seu medo é justificado e confirmado.

Ao invés disso, comece a se questionar, e a encontrar significados pelos quais você pode ter confiança e coragem absolutas para lidar com a situação. Faça-se perguntas do tipo:

  1. Como exatamente eu quero reagir?
  2. Por que eu posso, seguramente, agir desse jeito?
  3. O que pode, com toda certeza, me garantir que eu tome uma atitude mais consciente?

Resumindo: desenvolva as reações que você quer ter, através do aprendizado pessoal. Espero que você possa ter assim uma vida cada vez mais tranqüila, com menos medos e mais segurança.

Uma das ferramentas cruciais para lidar com essas coisas é a compreensão das nossas emoções. Se você está pronto para entender se é capaz de transformar as suas, então você pode aprender mais na ferramenta de autoavaliação online que eu disponibilizei no link a seguir:

Você sabe controlar suas emoções?

Abraços Fraternos,
Rodrigo Santiago – Coach

Rodrigo é co-fundador do Movimento Espalhe o Amor, com mais de 1 milhão de fãs nas mídias sociais. Com mais de 1000 horas de experiência atendendo clientes individualmente, Rodrigo é capaz de levar praticamente qualquer pessoa a conquistar o domínio sobre suas próprias emoções em situações complicadas, utilizando para isso apenas o diálogo. É membro do time de liderança da International Society of Neuro-Semantics (ISNS) - uma organização presente em mais de 40 países que redefiniu o que é Desenvolvimento Humano.

Leave A Response

* Denotes Required Field